VÍTIMA E SALVADORES

Antes de pensar em tirar um vitimizado de sua função você precisa saber com quem você está lidando. E você não está lidando com o vitimizado como é de se pensar, você na realidade está lidando com o Salvador.

Quem é esse Salvador? O Salvador é aquele que sempre está pronto para facilitar a vida do vitimizado para que ele não sofra, afinal ele passou por tantas dificuldades desde a infância.

Que tipos de dificuldades um vitimizado passa? Você sempre irá encontrar em um vitimizado um momento na sua história que ele não tinha saída e que alguém por algum motivo não prestou a ajuda oportuna que ele precisava.

Aqui começa dois equívocos, o Salvador que se sente culpado porque não prestou o apoio necessário para o vitimizado. E o vitimizado com sua espada de acusação ameaçando a cada instante o Salvador. 

O vitimizado não pode sair dessa situação tão simplesmente porque se isso acontecer ele irá fazer com que o Salvador perca a função e será o seu fim. A solidariedade a tantos anos de dedicação, ao vitimizado, não dá a esse infeliz a permissão de se libertar por si mesmo.

O Salvador carrega consigo toda a culpa para garantir que o vitimizado um dia encontre uma saída e viva a liberdade tão sonhada.

Me parece que nesse momento se faz essencial uma terceira pessoa, O Algoz.

Esse me parece que é o único que faz o papel do jeito que deve ser, sem o Algoz o Salvador fica sem função e o vitimizado não poderá se manter por muito tempo. O Salvador está sempre o libertando e dando a ele oportunidades de se desenvolver, e ele está a todo momento importunando, procurando, desejando que aparece em sua vida um Algoz, se esse tardar, uma mudança deverá acontecer em sua vida.

Enquanto houver Algoz, não faltará vitimas e salvadores.

Mas é preciso lembrar, o único que está na função de forma efetiva é o Algoz.

Sair dessa tríade é o grande desafio da Humanidade.

Sandra Martinhago