Finanças e Inteligência Emocional

Quem nunca pensou em poder subir um patamar em relação as suas finanças, e estatus social?

A minha pergunta seria: Se você é rico, porque não é milionário, se você é milionário porque não é bilionário?

A resposta é muito simples. Você está estagnado por conta de uma memória muscular. O que significa estagnado por memórias musculares? Isso quer dizer que as suas experiências emocionais da infância podem estar ditando o quanto você será rico, se muito, se pouco ou se milionário.

Como os seus pais lidavam com o dinheiro poderão determina a sua vida financeira se você não parar para questioná-las.

Muitas vezes os comportamentos financeiros atuais podem estar correlacionados com as memórias emocionais que a sua mãe vivenciou durante a gravides, no parto e até tres anos depois do seu nascimento.

Ai quem sabe você estaria me dizendo agora. Então se isso tem a ver com as memórias emocionais do passado isso não é assunto de coaching?

Sim e não.

Se a pessoa em questão não estiver bem psicologicamente, passando por alguma patologia psíquica, não é para coaching a pessoa deve procurar um especialista nesta área.

Mas se o que a pessoa tem é um pensamento limitante sobre suas finanças, se ele não consegue manejar bem os seus resultados e manter um bom lucro. Isso sim é uma questão para o processo de coaching.

O que estamos percebendo com nossas sessões de coaching é que preparamos o cliente para ter êxito na questão que ele trouxe e ele não consegue avançar, 

O Que acontece é que a mente humana é uma mas ela funciona como dois e pode estar acontecendo duas coisas:

  1. Ele faz bons negocios, tem bons resultados, até mesmo se destaca no mercado, mas o dinheiro não fica, não consegue prosperar, ter reservas a pesar dos bons resultados.
  2. Ele tem todas as competências para se destacar no mercado, sabe que está mais habilitado que muitas pessoas, mas não consegue um posicionamento.

No primeiro caso é muito provável que tenha um conflito paterno, e no segundo caso um conflito materno.

Para que exista um conflito a pessoa necessariamente não tem que ter problemas com o pai ou com a mãe. 

Basta alguma emoção vivenciada de forma muito intensa desde a gravidez da mãe até o terceiro ano de vida, em um primeiro momento para que seja desenvolvido esse comportamento indesejado.

E isso pode ter ocorrido apenas uma vez.

Nós temos a mente consciente, que é a mente que quer, que pode, que realiza. É com essa que conversamos numa sessão de coaching.

E temos a mente subconsciente, que tem a nossa história de vida e onde está gravado tudo que viveu nossos antepassados. E que dependendo do impacto emocional que se vivencia nesse periodo de gestação esse programas podem ser ativados, e a pessoa estará fazendo suas escolhas mediante esses programas já pre existente.

Se não houvesse esses programas, que são chamado de epigenética, que é a informação que está acima da genética, nós terias que aprender tudo do zero. Talvez ainda estivéssemos inventando a roda, se fosse assim.

A neurociência já nos mostrou que recebemos as informações genéticas que determinam a nossa cor de cabelo, altura, cor de olhos, entre outros e a epigenética que  são as experiências do nosso clã, suas vivencias, e estratégias que eles desenvolveram para sobreviverem.

Se você tivesse que escolher entre matar a fome e ser feliz, o que você escolheria?

Com toda certeza matar a fome. Isso é uma questão de sobrevivência.

Então se seus pais passaram por uma experiência sofrida em relação ao dinheiro e com isso tiveram problemas e de alguma forma houve um risco de vida. Essa informação ficará registrada e se a pessoa passar por um estresse semelhante na vida adulta e irá buscar a informação transgeracional que solucionou o problema. E solução será aplicada para lhe manter vivo diante dessa questão que você esta vivendo, mesmo que a alternativa te leve a morte.

É isso mesmo, seu subconsciente não verifica se a alternativa escolhida lhe trará mesmo dano ou mai dano, ela só lhe oferece a alternativa.

Diante disso é preciso questionar essas informações, que é diferente de fazer terapia. Tenue a linha mais é assim.

Um coaching que tem as informações sobre as emoções que envolve o fracasso financeiro, poderá levantar os pensamentos originais que limitam o sucesso.

Com a mente consciente o coachee estará colocando suas competencias em ação.

Com a mente subconsciente e validará ou não essas ações, então não adianta você ter boa intenção e competência para fazer as coisas, o seu subconsciente deve estar de acordo.

Aquilo que é vivenciado promove uma sensação, para essa sensação é dado um nome que esconde uma emoção oculta. A emoção oculta é medo, raiva, asco, tristeza e felicidade. Mas nós não dizemos que estamos tristes porque os negócios não vão bem, dizemos que estamos deprimidos, nao dizemos que estamos com   medo, dizemos que estamos com pânico, ansiedade, não dizemos que estamos com nojo, dizemos que estamos culpados, não dizemos que estamos com raiva, dizemos que somos hiperactivos. Vamos criando nomes bonitos para esconder emoções que socialmente são julgadas como feias.

Agora com o advento da Inteligencia emocional, está se conseguindo e está permitido falar das emoções ocultas, porque se descobriu que ao tomar consciencia delas, podemos alavancar na vida. E essas emoções aparecem toda a vez que a sobrevivência estiver em risco.

Então a habilidade que um coach precisa desenvolver é encontrar essa informação de risco de sobrevivência que em sua grande maioria das vezes é tão somente uma distorção da realidade pelo fato de na idade que isso aconteceu não havia competência emocional e psíquica para compreender o fato de forma racional.

Então se estaremos trabalhando com o racional isso sim é para a sessão de coaching.

Como é possível desativar essas informações e modifica-las de uma forma que seja eficaz?

Para arrumar o subconsciente existe algumas possibilidades.

  1. Você pode repetir frases positivas, isso ira fazer uma nova programação, lhe dará alguma folga, promoverá alguns resultados, mas não modificará a informação no subconsciente.
  2. Você poderá utilizar a visualização guiada, a imaginação, ter a imagem construida do que você quer realizar, isso te dará energia para ir em direção dos seus objetivos, é mais forte que as frases positivas, mas ainda não haverá mudança no subconsciente .
  3. Agora a compreensão é o que muda, mas não é só uma compreensão racional, se faz necessário uma compreensão emocional a nível de sistema límbico. Você tem que convencer o seus “macaco”, assim que chamamos esse sistema límbico, que não existe mais perigo. Que existe soluções mais adequadas para que você sobreviva, ele concordando, a mudança acontecerá.

Esse modelo de coaching é o que eu desenvolvi para o Instituto nefesh, que é o Coaching Transgeracional.

Sandra Martinhago

Presidente Instituto Nefesh